quarta-feira, 12 de maio de 2010

Humano

Porque é que o raio do ser humano é sempre assim? Estamos sempre insatisfeitos com o que temos, não é? Cada vez me convenço mais que sim. Apaixonamo-nos por quem não devemos, por quem não podemos ter. E para quê? Qual é o significado disso? Todas as paixões parecem-nos a pessoa mais bonita que vimos e será sempre assim. Depois desiludimo-nos com um acto egoísta, e percebemos que era uma pessoa comum, e continuará a ser sempre assim. Alguém nos deixa com um sorriso parvo por uma frase que disse, por um gesto que fez.. E lá estamos nós outra vez, a criar expectativas.
Passa tanto tempo, olhamos sempre para trás, não queremos olhar mais, mas acho que é a decisão mais difícil que alguém tem de escolher. Não sei, o que fazemos aqui, acho que o mais importante é descobrir o significado da vida, qual a nossa função. Vocês sabem? É que eu não. Desmoralizei por completo, defino prioridades, decifro códigos mas isto é um círculo vicioso. Que desgaste, as emoções acumulam-se, fervilham e acabam por transbordar. Páginas de histórias, é o que são os nossos actos. Histórias de vidas cruzadas com algum significado? Será que isso existe mesmo? Eu acho que andamos todos aqui ao acaso, que somos marionetas ou as bolas do jogo do bingo, elas trocam-se, ultrapassam-se, tocam-se tudo dentro do mundinho delas e a função delas é isso. Uma coisinha insignificante. Não será o que acontece connosco?

Sem comentários:

Enviar um comentário