segunda-feira, 2 de abril de 2012

Tempos

Não entres na minha vida se não queres ficar, não podes entrar deitar-te do meu lado, habituares-me a sentir a tua presença, o teu carinho e logo a seguir abandonares-me.. É cruel, e mostra que todas as juras de acontecimentos futuros eram meras mentiras! E neste momento que faço eu? Dou voltas a cama, com esperança de te encontrar? Não! Vou ter que te deixar ir, vou ter que me mentalizar que vieste apenas para brincar, para me marcares e a seguir, ires embora.. Era essa a tua intenção. E a ti? Quem e que penaliza, sofreste nas mãos erradas, agora achaste no direito de ter a mesma atitude com os outros? Só te tornas igual a quem te desiludiu. Eu tenho a minha consciência limpa e tranquila, fui fiel a mim própria e isso e o que eu coloco em questão, desde à uns tempos para cá, que aprendi (com muita cabeçada) que hei de me por acima de tudo. Desde que seja correcta comigo própria, que seja a minha maior amante, está tudo bem.. Pois bem, se alguma vez necessitares de ajuda, muito provavelmente eu vou lá estar para ti, a minha alma não me deixa ser rancorosa e leva-me a estender a mão, a ser uma grande pessoa, esperemos que seja uma grande pessoa com grandes feitos! O medo só te mantém prisioneiro de ti próprio!