terça-feira, 11 de junho de 2013

Old.

Nem sempre o antigo é mau,  podemos querer rever momentos, reviver sentimentos, o que nem sempre é bom.. A verdade neste sentido é meio indefinida, todos os dias eu posso te procurar na cama, mas tu fazes me mal, em vários momentos. Pratiquei insanidade junto de ti, e a saudade bate na minha porta, diz para voltar e realça a emoção de ter alguém que me transmite um enorme sentimento, nada intuitivo. Como amar? Se é algo que já sabemos desde o início, eu vim com defeito de fabrico. Mas desde aquela tarde calorosa de verão, me parece tão essencial, tão certo. Dizem que reviver o passado não nos trás nada de novo, que é preferível, deixarmos as memórias sossegadas, aliás as memórias são para ficar sossegadas, numa caixa, são acontecimentos que nos ensinam algo ou que nos marcam. As coisas acabam, é suposto tentarmos reinventa-las? Ou deixamos que estas morram, que a paixão acabe? Ou depende do que tudo isto significa? Se é atracção, amor, paixão ou orgulho? Cada vez são mais perguntas, mais dúvidas, e mais emoções. O racional diz deixa ir, já o emocional, adora remexer nos momentos bons!

Sem comentários:

Enviar um comentário